Cuidados que tenho com meu cabelo: Parte 2 – Tratamentos (Máscaras)

Amo usar máscaras capilares, adoro sentir as texturas e os cheiros dos produtos, este momento é pra mim como um relaxamento, sem contar que fico naquela expectativa pra ver qual será o resultado do produto no meu cabelo. Costumo usar máscaras cerca de duas vezes por semana. Intercalando entre as de hidratação (minhas preferidas), as de nutrição e as de reconstrução.

mulher.uol.com.br
Imagem: mulher.uol.com.br

As de reconstrução uso só de vez enquando, algo em torno de uma vez ao mês. Isso porque o meu cabelo não tem químicas, então, ele não precisa de reconstruções muito frequentes. E, geralmente, este tipo de máscara contém queratina, que pode enrijecer os fios se usada em excesso (isso já aconteceu comigo!).

Como eu uso: Tento sempre seguir as recomendações das embalagens, mas no geral faço assim: Após ter lavado os fios (somente com shampoo) retiro o excesso de água com uma toalha ou aplico só um pouquinho da máscara nos fios e dou umas apertadinhas neles. Acho importante retirar o excesso de água para evitar que o produto fique muito diluído e faça menos efeito. Então, divido o cabelo em quatro mechas e aplico a máscara em cada uma delas, no comprimento e nas pontas somente, massageando muito bem no sentido do crescimento. No meu cabelo, cerca de três colheres de chá cheias de máscara são suficientes. Após ter massageado bem cada mecha, junto todas elas e massageio mais um pouco, cuidando bem pra que as pontinhas estejam bem “mascaradas”, já que são elas que mais sofrem com o ressecamento. Pentear os fios com um pente de dentes largos dá uma mãozinha neste processo de “espalhamento” do produto. Então, faço um coque baixo (prendo com uma piranha ou palito) e deixo agir pelo tempo determinado na embalagem. Às vezes, principalmente quando a pausa é mais demorada, uso uma touca ou sacolinha pra dar uma abafada. Passado o tempo de espera, enxáguo muito bem pra retirar o produto.

Algumas máscaras tem ph baixo (algo em torno de 4, ou menos que isto) e neste caso não há necessidade de usar condicionador após retirá-las, porque elas mesmas já fecham as cutículas do cabelo. Outras, no entanto, não fecham as cutículas, pois seu ph é mais alto, e neste caso devemos usar o condicionador após retirá-las, para que ele faça este serviço. Na dúvida, quando a embalagem não especifica o ph, eu testo a máscara sem o condicionador e observo o resultado nos fios pra ver como ela se comporta. Dá um pouco de medo de fazer no “achismo”, né? Mas fazer o quê? Se não escrevem pra gente o que precisamos saber, a gente se vira como pode, ué!?! Agora, se você for mais cuidadosa e paciente do que eu, você pode ligar para o serviço de atendimento ao consumidor da marca e perguntar qual é o ph do produto.

Obs: Costumo usar uma colherzinha de plástico limpa para retirar o produto do potinho, para evitar contaminações.

Então, é assim que eu faço pra aplicar as máscaras de tratamento nos meus fios. E vocês, fazem assim também ou fazem diferente? Se tiverem algum segredinho me contem, tá?

Nos próximos posts continuaremos a falar de cabelos. Não percam!

Ná Blezins

Anúncios

Cuidados que tenho com meu cabelo: Parte 1 – Lavagem

Meu cabelo é misto, ou seja, um tanto oleoso na raiz e mais ressecado nas pontas e lidar com este tipo de cabelo é meio complicado, sabe? No meu caso, prefiro usar um shampoo hidratante do que um pra cabelos oleosos, porque o resultado final, no meu cabelo, é melhor. Isso porque quando uso continuamente shampoo para cabelos oleosos, os meus fios ficam mais ressecados, ásperos ao toque e o frizz vai parar lá nas alturas. Então, tenho preferido usar regularmente um shampoo hidratante e de vez enquando, principalmente quando vou fazer hidratação, uso um shampoo pra cabelos oleosos, daqueles transparentes, que limpam melhor. E, assim consigo manter um equilíbrio que, no meu caso, funciona bem. Costumo lavar os fios um dia sim e um dia não.

not1.xpg.uol.com.br

Imagem: not1.xpg.uol.com.br

Como eu faço:

Shampoo: Gosto de estar com os cabelos bem molhados na hora da aplicação, porque acho que assim fica mais fácil espalhar o shampoo. Faço assim: Aplico primeiro na raiz e massageio bem, isso estimula a circulação no local, o que é ótimo para o crescimento. Depois aplico no comprimento e pontas e massageio também, bem suavemente. Enxáguo muito bem e se necessário faço uso do shampoo mais uma vez, somente na raíz.

As vezes, uso ainda um shampoo esfoliante. Ele faz uma limpeza ainda mais profunda e dá uma sensação de leveza no couro cabeludo. Atualmente estou usando o Argiloterapia de O Boticário e estou gostando bastante.

Condicionador: Primeiramente, coloco só um pouquinho de produto nas mãos e passo nos fios, então, dou umas apertadinhas, com as mãos mesmo, só pra retirar o excesso de umidade, que pode fazer com que o produto se dilua muito, comprometendo sua eficácia . Depois, espalho mais produto no comprimento e pontas. Massageio bem pra envolver todos os fios e deixo agir uns dois ou três minutos. Nesta pausa prendo eles com uma piranha ou palito, pra eu poder continuar o meu banho sossegada. Depois, enxáguo muito bem, pra retirar os resíduos de produtos, que podem deixar os fios pesados.

Vale lembrar que o shampoo faz as escamas do cabelo se abrirem para fazer a limpeza, enquanto que o condicionador fecha estas escamas, evitando a perda rápida da hidratação e a aspereza causadas pela alta porosidade.

Então, é assim que eu lavo os meus cabelos. Vocês fazem assim também? Se tiverem algum segredinho me contem, tá?
Nos próximos posts falaremos sobre tratamentos, finalizadores e dicas extras. Não percam!

Ná Blézins

Aprendizados legais de 2015

2015 foi um ano bem interessante pra mim. Aprendi várias coisas legais que creio que vou carregar comigo pra sempre. Acabei o ano me sentindo mais leve e feliz e espero que em 2016 eu aprenda mais uma porção de coisas dessas, que fazem a gente se sentir mais madura e bem resolvida.

DSC_0365

Aprendizados legais de 2015:

Quero ser feliz hoje, aqui e agora! Houve um tempo, não muito distante, em que eu pensava assim: quando eu tiver uma casa minha de verdade, vou decorá-la do jeitinho que eu quero. Quando eu puder, quando eu tiver, quando isso, quando aquilo… Quando, quando, quando. Chega! Eu não sei do dia de amanhã, então quero realizar meus sonhos hoje! Aqui! E agora! Eu não sei se um dia terei minha casa, eu quero, mas não tenho como garantir que isso acontecerá, então, se eu quiser decorar minha casa alugada, vou decorar minha casa alugada! E isso vale pros meus outros sonhos também. Vou fazer o que eu posso, como eu posso e com o que eu tenho agora.

Menos é mais! Quanto mais coisas, mais trabalho. Cansei de armários abarrotados de coisas, que até dificultam em ver o que tem lá dentro! Cansei de guardar coisas que não servem pra nada, só ocupam espaço. Cansei de locais difíceis de limpar de tão cheios de coisas inúteis. Cansei de poluição visual na minha casa. Enfim, cansei de ter o que não preciso. Quero só o útil e necessário! Quanto menos, melhor!

Quero vestir o que eu gosto! Não quero mais nem saber se está na moda ou não, se as pessoas vão gostar ou não. Eu gosto, eu visto e pronto! Adoro usar camisetas porque elas são muito confortáveis, mas passei um tempão evitando usá-las, porque as mulheres ou meninas com as quais eu convivo, ou seja, do meu círculo de amizade, não costumam usar. A maioria usa blusinhas mais justas ou então batinhas, mas não camisetas. Aí, a criatura aqui não usava camisetas, só porque ninguém mais usava, sabe? Gente, que besteira! Já ouviram (ou leram) algo mais idiota do que isso? Pára Ná! Se você gosta, usa! Poxa! Dei um basta nesta ideia boba de que eu tenho que me vestir de acordo com os outros. Credo!

Não adianta sofrer por coisas que não posso mudar. Eu não vou crescer mais! E não estou disposta a sofrer por isto! Simplesmente achei melhor aceitar algumas coisas. Passei a analisar melhor aquilo que me incomodava pensando assim: posso mudar isso? Se não posso mudar, vou esquentar a cabeça pra quê? Há coisas que fogem do meu controle e pronto! Não estou disposta a deixar de ser feliz por isto!

Ai, abri meu coração agora! Acho muito importante a gente tirar um tempinho pra olhar pra dentro de nós mesmas. Me parece meio vago sair fazendo planos novos sem dar uma olhadinha pra nossa situação atual. Agora quero saber o que vocês aprenderam de legal em 2015. Conta pra mim?

Ná Blézins