Um tempinho pra mim

ichef-bbci-co-uk
Imagem: ichef.bbci.co.uk

Os últimos meses foram bem intensos e cansativos pra mim. A minha vida já era corrida e isso piorou muito quando resolvi fazer um novo curso (leia mais sobre o curso aqui: https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2016/12/26/saindo-da-zona-de-desconforto/). Aí parece que a vida me deu um presente neste Dezembro: meu chefe, o ilustríssimo senhor prefeito, nos deu um recesso de duas semanas! Uhul!!! Gente, cês não imaginam a minha felicidade com esta notícia!
Aí, me coloquei a pensar a que eu dedicaria estes dias e cheguei a conclusão que eu dedicaria a mim mesma! Na correria do dia a dia nem sempre consigo cuidar de mim do jeito que gostaria e tem atividades que eu adio a anos! Quer um exemplo? Faz anos que eu quero aprender a correr. Praticar corrida de rua mesmo, sabe? Mas entra ano e sai ano e eu não faço isso. Também faz anos que eu quero praticar alongamentos e sempre começo e paro com esta atividade também! Além destas haviam várias outras coisas que eu queria fazer por mim.
Depois que decidi o que fazer com os dias de folga foi só colocar em prática! Estou correndo (quer dizer, tentando correr, haha!), melhorando a limentação, testando várias coisas na pele do rosto e corpo, já fiz uma hidratação mais demorada no cabelo, enfim, estou cuidando de mim. E isso tem sido tão bom! Me sinto mais leve e livre! Dá um sentimento de que estou me valorizando, fazendo a minha parte para comigo mesma, sabe?
Só espero que eu consiga manter estas atividades mesmo depois que a correria voltar, mesmo que não seja na mesma intensidade. Porque saúde e bem estar fazem toda a diferença na nossa vida. Experimente você também!

Anúncios

Saindo da zona de (des)conforto

noivinhaemfolha-com-br
Imagem: noivinhaemfolha.com.br

O fato é que hoje eu trabalho em uma prefeitura, mas que o meu sonho desde os meus 18 anos é ser dona do meu negócio. Eu quero ser livre pra colocar as minhas ideias em prática e trabalhar pra alguém não me dá essa liberdade.
Eu também quero trabalhar com algo gratificante. Daqueles trabalhos que ao final do dia você fica admirando os seus feitos e sentindo que aquele dia valeu a pena. Sabe do tipo “fui eu que fiz!”.
Além disso, eu gostaria de trabalhar em casa, porque eu amo estar em casa. É um ambiente que me traz muito conforto e acredito que, com uma dose extra de disciplina, há trabalhos que podem sim ser executados em casa.
Aí, que de uns tempos pra cá eu tenho me sentido cada vez mais incomodada com meu trabalho. Acordar, me aprontar, almoçar, voltar a trabalhar, voltar pra casa, organizar umas coisas, dormir e começar tudo de novo. Esta rotina parecia estar me engolindo. Imagina fazer isso por uns 30 anos seguidos?
Só que eu não fazia nada para mudar a minha situação. O que é que eu estava esperando? Que algo mágico acontecesse e de repente eu tivesse uma nova profissão, do jeito que eu sonhei?
Pesquisei, pesquisei e resolvi me matricular num curso de modelista de roupas. Isso porque já tem tempo que eu penso em trabalhar com noivas. Só que eu não queria simplesmente vender artigos para noivas, eu gosto mesmo é de por a mão na massa. Então, eu decidi que quero aprender a fazer vestidos de noiva. Ah, quando eu passo em frente a uma vitrine com vestidos de noiva… tum, tum, tum… o meu coração bate mais forte! A caminhada será longa e cheia de incertezas, mas o primeiro passo eu dei.
Comecei o curso pensando que se eu não gostasse estaria tudo bem. “Vou lá, se eu não gostar eu paro e pronto. Sem neuras”.
Comecei o curso em agosto e neste mês de dezembro eu já estou com meu diploma em mãos e planejando iniciar um curso de costura no ano que vem.
O que eu posso dizer? Eu estou muito feliz porque não estou mais simplesmente descontente e sem fazer nada pra mudar. Eu tomei uma atitude e isso me faz bem. E se mais a frente eu ver que não é isso que eu quero estará tudo bem, porque conhecimento nunca é perdido, né?

Por que doar cabelo?

www.mulher.com.br
Imagem: http://www.mulher.com.br

Pra quem ainda não sabe, eu estou deixando meu cabelo crescer para doá-lo. Mas, porque doar cabelo mesmo? Quando doamos nossos cabelos, eles são usados para fazer perucas para crianças ou mulheres que estão em tratamento contra o câncer. Muitas vezes a auto estima destas pessoas pode estar abalada, pois além de já estarem vivendo um momento difícil de suas vidas, ainda tem de lidar com uma mudança muita brusca em sua aparência devido a perda dos cabelos.

Quando isso acontece com as crianças pode ser ainda mais difícil, pois muitas vezes elas tem de conviver com outras crianças que não estão preparadas para vê-las assim sem demonstrar surpresa. E vocês sabem, né? Crianças dizem o que pensam! E quando vêem outra criança sem cabelos a primeira coisa que vão fazer é algum comentário ou questionamento sobre isto.

É por isso, para ajudar a resgatar a auto-estima de pessoas que estão passando por um momento delicado em suas vidas, que algumas ONGs se dedicam a receber doações de cabelos e fabricar perucas para doar.

Tá, já sabemos pra que serve, mas como doar então? Pesquise uma ONG de confiança perto de você que se dedique a este trabalho. Aí você vê quais são os regulamentos desta ONG em específico. Mas, no geral funciona mais ou menos assim:

Quando decidir cortar o cabelo, vá ao cabeleireiro e avise que você vai doar os fios. Aí ele deve amarrar mechas do cabelo e cortar com os fios ainda secos. O comprimento deve ser de pelo menos 10 cm (ou 15 dependendo da ONG). Então, você coloca as mechas, que já estão amarradinhas para os fios não ficarem soltando, num saquinho plástico, embala e envia para a ONG. Simples, fácil e indolor!

O meu cabelo já tem comprimento suficiente pra eu doar há um bom tempo, só que no meu caso, especificamente, eu quis me dedicar a isto, pra doar bastante cabelo. Mas você não precisa necessariamente deixar o cabelo crescer, com 10 ou 15 cm já dá pra doar.

Quando eu comecei a minha saga pra deixar os cabelos crescerem eu pretendia doar os cabelos ao menos uma vez na vida. Mas sabiam que já ganhei dois cabelos para doar? Fiquei muito feliz em influenciar outras pessoas a ajudarem também.

Ah! Vale lembrar, que as ONGs também aceitam e precisam de outros tipos de doações além de cabelos, porque não se faz uma peruca só com cabelos, também são necessárias outras coisas. Então, também tem outras maneiras de ajudar, é só pesquisar.

E gente, vamos combinar? Porque não fazer o bem quando a gente pode? Vamos ajudar?

O programa que me fez decidir doar é este aqui ó (são três blocos):

Aqui você pode conhecer a ONG para a qual eu pretendo doar, a Rapunzel Solidária:

https://www.facebook.com/rapunzelsolidaria

A ONG Cabelegria (a que aparece nos vídeos) não está recebendo cabelos porque estava recebendo muito mais cabelo do que sua capacidade produtiva podia suportar, então ela indica que as doações sejam direcionadas para o ONG que citei aqui em cima.

Diário de Desfazimentos e de Compras – Abril 2016

Desfazimentos:

Desfazimentos Abril 1
Parte dos desfazimentos

– 2 leggings;
– 7 saias;
– 9 blusas de frio;
– 16 vestidos;
– 2 calças jeans;
– 5 camisas;
– 1 shorts;
– 29 blusinhas;
– 2 coletes;
– 2 camisetas;
– 1 parte de cima de um biquíni;
– 2 meias calças;
– 4 pares de meias;
– 10 sutiãs;
– 2 lençóis;
– 2 jogos de tapetes (5 tapetes no total);
– 1 desodorante colônia.

Sei que pode ser assustador ler que me desfiz de tantas roupas, mas vou tentar me explicar resumidamente. Minha mãe vende roupas novas e usadas e ganho muitas coisas dela, na verdade, mesmo antes de ela vender roupas ela já me dava muitas coisas (roupas, cosméticos, coisas pra casa…). Mas já me resolvi com ela, e hoje quando ela quer me dar algo, eu vejo primeiro, se eu realmente quero ou preciso, fico com aquele item, senão devolvo pra ela e ela dá pra outra pessoa ou vende no seu brechó. Eu também já tive um brechó, que ganhei da minha mãe em 2014. Em 2015, nós (marido e eu) fechamos ele. Aí eu fiquei com diversas peças pra mim, que eu achava que iria usar. Eram peças bonitas, só que meu guarda-roupa ficou desequilibrado. Eu tinha um monte de roupas pra passear e poucas roupas básicas. Só que eu não saio muito e não fazia sentido ter todas aquelas coisas. E tem mais uma coisa que contribuiu pra eu acumular tantas roupas: quando eu parava de usar algum item, porque não gostava mais dele ou ficava velho, eu deixava guardado ao invés de me desfazer logo dele. Cheguei ao ponto em que minhas roupas mal serviam no guarda-roupa. Aí eu cansei, percebi que preciso de pouco pra viver, e estou me desfazendo de muuuitas coisas. É isso!

Compras:

DSC_0460.JPG
Parte das coisinhas compradas

Jogo com 4 bacias e 1 balde. Apareceu um moço vendendo eles aqui no portão de casa. Aí compramos pra ajudar ele e na verdade estão sendo bem úteis;
3 linhas para ajustar roupas;
1 touca de tricot. O frio chegou, né minha gente? E eu tô precisando de umas coisinhas pra suportá-lo, a touca era uma delas.

Os itens abaixo são todos para ir ao casamento de uma amiga, que será no mês que vem:
Maquiagens. Eu estava precisando, porque como não uso muita maquiagem, as minhas estavam velhinhas. Os itens que comprei até agora foram: 1 máscara de cílios, 1 duo de sombras, 1 pó compacto e 1 batom matte. Ainda faltam umas coisinhas;
1 esmalte;
1 sapato de salto. Eu realmente precisava dele, porque não tinha nenhum sapato de festa. Pensei e procurei muito antes de comprar este item, porque eu queria algo bonito e confortável. Às vezes eu acabo comprando algo que não gosto depois, porque no momento da pressão, de ter que achar algo, acabo comprando alguma coisa mesmo sem ser bem aquilo que eu queria e acabo me arrependendo. Comprar este item foi um desafio pra mim, pra ver se eu realmente conseguiria fazer uma compra bem pensada. E, parece que deu certo, porque estou satisfeita com minha compra. O sapato é bonito e confortável (pra um sapato de festa). Só acho uma pena ser um item que será difícil eu usar novamente, mas que sim, eu precisava comprar.
Almofadinhas para topete. Não achei uma exatamente do jeito que eu queria, mas comprei esta porque fiquei com medo de não achar a que eu quero.
Umas florzinhas e uma cordinha pra fazer um acessório de cabelo. Eu queria uma daquelas cordinhas que usamos entrelaçadas na trança, mas não achei nenhuma ao meu gosto. Aí eu comprei estas coisinhas pra fazer meu próprio acessório.

Acho que comprei bastante coisas, mas não estou me incomodando, porque eram coisas necessárias, principalmente por conta do casamento em que pretendo ir. Já perceberam que o assunto aqui será casamento, né? Haha.

Ná Blézins

 

Resultado: Uma meta por semana – Abril 2016

Me desafiei a cumprir uma meta por semana (veja aqui: https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2016/03/27/uma-meta-por-semana/), porque eu estava deixando uma porção de coisas que precisava ou queria fazer acumularem. Acho até que quando eu pensava em tudo o que tinha pra realizar, parecia que nunca colocaria tudo em dia e aí é que eu desanimava de vez e nada saia do lugar.

Agora, depois de pouco mais de um mês do início do projeto Uma Meta por Semana, posso dizer que assim, decidida a ir devagar e sempre, as coisas estão caminhando . Acho que determinar um mínimo a ser realizado me animou e estou conseguindo fazer mais do que isso. Se eu realizo uma tarefa e ainda há ânimo e tempo, realizo outra. Na verdade, já realizei quase todas as metas que escrevi no primeiro post, só falta continuar ajustando algumas roupas. Mas, como não eram só aquelas metas que eu tinha, elas eram só um exemplo, pretendo continuar firme e forte no meu desafio.

Então, lá vai o resumo das metas cumpridas, da última semana de Março até a última semana de Abril:

DSC_0452
Potinhos que decorei

Março:
Semana 4: Fiz um avental que queria, comprei um presente de casamento e publiquei um post atualizando a situação do meu cabelo.

Abril:
Semana 1: Lavei e doei uma porção de roupas que estavam guardadas.
Semana 2: Ajustei cinco peças de roupa e cortei os pelos do Laka (meu baby canino).
Semana 3: Escolhi um vestido e comprei sapato e maquiagens para ir ao casamento de uma amiga. Decorei uns potinhos, coisa que queria fazer há tempos.
Semana 4: Levei uma rasteirinha ao sapateiro para ser consertada.

O que eu posso dizer? Tô felizona com as minhas metas cumpridas!

E você? Também tem tarefas acumuladas? Está conseguindo cumprí-las? Você também pode tentar este desafio!

Ná Blézins

Vamos ter um diário de desfazimentos e outro de compras

Como vocês sabem (ou não, se não souberem vejam aqui: https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2016/03/28/menos/ ) eu estou tentando viver com menos, para descomplicar a minha vida. Percebi que ter muitas coisas não é nada prático, acarreta perda de tempo, de dinheiro e de energia. Aí, que ao mesmo tempo em que percebi que tinha excesso de coisas inúteis, notei também que há várias coisas das quais eu preciso (ou quero muito) e que não tenho. Isso soa meio contraditório, né? Mas é verdade.

Por isso, resolvi fazer um diário de desfazimentos e outro de compras. No primeiro contarei sobre as coisas das quais consegui me desapegar (aviso: vocês podem se assustar com o volume de coisas das quais pretendo me desfazer), e no segundo, contarei as coisas que comprei. Quanto as compras, espero fazê-las de forma bem pensada, porque se não for assim, vou acabar enchendo minha vida de coisas de novo.

portalsentinela.com.br
Imagem: portalsentinela.com.br

A princípio não vou estipular prazos para postar os diários. Assim que tiver um volume suficiente de desfazimentos ou de compras, colocarei aqui.

Creio que fazer estes diários vai me ajudar a visualizar e avaliar melhor as coisas das quais me desfiz e as que comprei. Quem sabe ainda não inspiro alguém a também tentar descomplicar a vida ou a pensar melhor nas suas compras, não é mesmo?

Espero que gostem dos diários, em breve eles aparecem por aqui!

Clicando no primeiro link, abaixo, você pode ver porque resolvi viver com menos. Clicando nos dois últimos links, você pode ler sobre a minha experiência ao fazer detox no armário:

https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2016/03/28/menos/

https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2015/12/24/vamos-falar-de-estilo-parte-1-detox-no-armario/

https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2015/12/25/vamos-falar-de-estilo-parte-2-o-que-aprendi-fazendo-detox-no-armario/

Vocês já passaram por uma fase assim, de querer reduzir o acúmulo de coisas que só complicam a vida ou de decidir consumir menos? Se sim, me conta nos comentários!

Ná Blézins

Menos

De repente eu me vi perdida no meio de um monte de coisas que me fazem perder tempo para limpá-las e organizá-las, que dificultam minha vida na hora de me vestir ou de achar algo que preciso, que fazem muito volume durante uma mudança de casa, que diminuem o meu espaço… Aí eu me cansei delas e hoje eu quero MENOS!

www.convivamelhor.com.br
Imagem: www.convivamelhor.com.br

Quero MENOS trabalho, MENOS complicação, MENOS bagunça, MENOS perda de tempo.

Por que é que enchemos nossas vidas de coisas que não nos servem pra nada? Por que compramos coisas que nunca vamos usar? Será que queremos preencher algum vazio? Ou será que não conseguimos resistir a tudo o que a sociedade diz que temos que ter? Eu não sei. Só sei que eu cansei e agora quero MENOS!

Sabe o que é incrível? Perceber que há itens dos quais eu preciso há anos e que não tenho, enquanto que ao mesmo tempo tenho um monte de coisas que não me servem pra nada! Isso me mostra o quanto compramos de olhos fechados, sem pensar nas nossas reais necessidades.

Desde que comecei a querer MENOS, me sinto mais livre. É muito bom perceber que não preciso de tudo o que achava que precisava!

Clicando nos links abaixo você pode conferir a minha experiência ao fazer detox no armário (é libertador!):

https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2015/12/24/vamos-falar-de-estilo-parte-1-detox-no-armario/

https://eunaosoutodomundo.wordpress.com/2015/12/25/vamos-falar-de-estilo-parte-2-o-que-aprendi-fazendo-detox-no-armario/

E você? Já olhou a sua volta pra conferir se não está se enchendo de coisas inúteis? Me conta!

Ná Blézins